Experiências de Fé


Maycon Chiceri - Bairro Saúde– São Paulo – Capital


Meu nome é Maycon Chiceri, tenho 36 anos, sou casado e tenho dois filhos. Recebi o Ohikari em 28 de Setembro de 2002 na cidade de São Vicente. Me formei em Engenharia, e possuo uma empresa de prestação de serviços em elétrica, eletrônica e automação.
Em outubro deste ano, entreguei todas as minhas missões na antiga igreja, e passei a dedicar-me para a expansão da Obra Divina através dos Encontros de Luz na Igreja Mundial do Messias. No início não sabia por onde começar, até porque não participava dos grupos em redes sociais, onde as conversas sobre encontros estavam mais evoluídas. Pouco antes de entregar as missões na antiga igreja, entrei para um grupo de estudos sobre Kyoshu-Sama no whatsapp. E neste grupo conheci uma pessoa que estava a fim de juntar forças para realizarmos os encontros em nossa região.
Nestes encontros fomos conhecendo novas pessoas, e determinamos que faríamos todos os sábados em formato de revezamento em nossos lares. Hoje nos revezamos em três (3) lares, e já nos encontramos por seis (6) semanas seguidas. De pessoas desconhecidas, juntos criamos um elo de amizade e de apoio uns aos outros.
Minha casa está passando por uma pequena reforma, e por isso eu preferia não realizar um encontro em meu lar, pois acreditava que as pessoas se sentiriam desconfortáveis. Mas no início deste mês de dezembro, quando estávamos programando onde seria o próximo encontro, justamente a pessoa que cederia sua casa não poderia fazê-lo, pois havia um compromisso familiar inadiável. Desta forma, entendi que Meishu-Sama estava me mostrando que eu precisava realizar o primeiro encontro em meu lar. Em consenso familiar, decidimos fazer o encontro. E para minha alegria, ocorreu tudo maravilhosamente bem!
Na semana seguinte ao encontro comecei a sentir uma dor do lado direito do abdômen, que variava entre as costas e barriga. Às vezes mais fraca, às vezes mais forte. Nós sabemos que sentir dores nessa região, pode ser rins, apêndice, vesícula, enfim, sempre cria uma leve preocupação. Por cerca de sete (7) dias ministrei Johrei local, fiz prática do sonen, mas a dor continuava.
É importante ressaltar que eu particularmente tenho sérios problemas com hospitais. Não me sinto bem nestes locais, e evito ao máximo fazer visitas. Mas a pedido de meus familiares, uma semana após o início das dores, fui ao hospital para avaliar o que poderia estar acontecendo naquela região.
Cheguei no hospital com dores, e a médica pediu um exame de urina e um ultrassom, pois tinha características de cálculo renal ou alguma inflamação naquela região. Além disso, recomendou uma medicação para aliviar a dor, mas recusei, pois estava suportando aquela dor há uma semana, e algumas horas a mais não fariam diferença para mim.
Fiz o exame de urina, e enquanto esperava para ser chamado para o ultrassom, chegou uma moça em cadeira de rodas com a família. Segundo o que eles conversavam, aquela garota tinha as mesmas dores que eu estava sentindo, porém ela já havia feito ultrassom e havia sido diagnosticado um tumor benigno e um líquido anormal nos rins. Imediatamente já imaginei o pior, acho que demora um pouco para nós ligarmos nosso sonen ao Messias.
Quando atingi um nível de consciência que poderia ser útil enquanto esperava para realizar o exame do ultrassom, escutando aquilo e vendo o sofrimento daquela moça, a primeira coisa que pensei, foi fazer a prática do sonen para que a garota pudesse passar por aquela purificação de acordo com a vontade divina, e que aquela purificação pudesse ser devolvida a Deus. Por um momento esqueci da minha dor, e foquei em conversar com Meishu-Sama sobre aquela garota, e também com seus antepassados.
Após uns trinta (30) minutos, me chamaram para o ultrassom.
Durante o exame de ultrassom, o médico me dizia que não havia nada naquela região e que eu poderia ficar tranquilo, pois estava tudo em ordem.
Voltei para a sala de espera, pois deveria aguardar por mais uma hora para que o exame de urina ficasse pronto. Aquela moça já não estava mais na sala de espera com sua família.
Porém chegou uma senhora, também em cadeira de rodas, com uma dor na mesma região, só que de uma forma mais intensa. Ela se contorcia de dores, e por certos momentos chorava. Pensei: “que estranho, quantas pessoas com dor na mesma região, estão aqui neste momento”
Pelo que a família conversava, essa senhora, estava com cálculo renal. Novamente fiz a prática do sonen, conversando com Meishu-Sama para que aquela purificação pudesse ser devolvida a Deus, e que seus antepassados pudessem ter compreensão sobre aquela purificação.
Durante aquela uma hora, minha mente estava em sintonia com Meishu-Sama, entregando todas aquelas purificações. Inclusive das outras pessoas que estavam presentes, com todos os tipos de dores.
Após uma hora de espera, o médico me chamou e falou que eu não tinha nada, nenhuma infecção e que poderia ser apenas um desconforto muscular. Mesmo assim, ele fez diversos exames (de toque) apertando as partes que eu havia reclamado de dor.
O mais interessante, é que quando o médico me chamou, eu não sentia mais dor alguma. Eu não havia percebido, mas as dores haviam sumido. Minhas dores na região abdominal direita não existiam mais! Estive tão concentrado em encaminhar aquelas purificações de outras pessoas, que acabei esquecendo de minhas dores.
Penso que o mundo espiritual é algo misterioso e maravilhoso. Apesar de todos os estudos e crenças que temos, ainda temos um lado material que às vezes aflora, e não nos deixa explorar um pouco mais o lado espiritual das coisas. Quando parei de me preocupar com minhas dores, e se preocupar com as dores daquelas pessoas que estavam à minha frente, acredito que Meishu-Sama cuidou de mim.
No dia seguinte, refletindo sobre o que aconteceu, entendi que eu precisava estar ali naquele hospital, com pessoas com a mesma afinidade relacionada às dores, e antepassados com a mesma purificação, para que pudessem ser encaminhados. Talvez meus antepassados me levaram até aquele local, não sei. O que sei, é que comecei a sentir muita gratidão em ser útil, em qualquer lugar. E isso se deu exclusivamente quando decidi abandonar a velha fé, e mergulhar de cabeça na fé completamente nova proposta por Kyoshu-Sama.
Muito obrigado ao Messias Meishu-Sama, e muito obrigado a Kyoshu-Sama por me ajudar a ter compreensão das coisas por outro ângulo. Agradeço também aos meus ancestrais e antepassados, a minha família e aos meus amigos de Encontros de Luz.
Para finalizar, gostaria de deixar minha gratidão a todos os ministros, reverendo e seguidores de Kyoshu-Sama pelo empenho em construir a Igreja Mundial do Messias no Brasil, deixando velhos hábitos e enaltecendo uma fé completamente nova centralizada no legítimo Kyoshu-Sama.

Muito Obrigado, feliz natalício a todos!